“O custo da falta de ações na educação é um futuro pior”, diz professor da USP, Jacques Marcovitch

Está acontecendo agora à tarde, na Amcham, em São Paulo, um seminário sobre educação. Banco Mundial, Fundação Telefônica/VIVO, CSN, Centro Paula Souza e Mendes Júnior Engenharia e Inep participam do debate. O tema do seminário é Iniciativa privada e os agentes de educação no Brasil. 

O objetivo do evento é promover um debata sobre os principais gargalos do setor de educação no Brasil e analisar como a educação pode impulsionar a inovação e a produtividade no país. Hoje, é evidente a participação da iniciativa privada no mercado brasileiro de educação, uma forma de responder à demanda por acesso a serviços de educação.

Confira abaixo algumas das principais falas dos debatedores do evento:

“A qualidade da educação é composta por três pontos: acesso, permanência e aprendizados.”
Francisco Soares, presidente do Inep

“Há um quadro de avanços na educação brasileira, mas também de problemas persistentes. Escolarização não é aprendizado.”
Claudia Costin, diretora de Educação do Banco Mundial

“Falta ao Brasil experiência em desenvolver currículos profissionais entre universidade e empresas.”
Almério Melquíades de Araújo, coordenador de Ensino Médio e Técnico do Centro Paula Souza 

“Há consenso entre as empresas sobre a importância do investimento conjunto em educação. Todos os nossos projetos têm, pelo menos, três ou quatro empresas parceiras.”
Gabriella Bighetti, diretora presidente da Fundação Telefônica Vivo 

“No segmento minero-metalúrgico, empresas concorrentes de grande porte se uniram para investir em educação.”
Alba Valério, gerente de Recursos Humanos da Companhia Siderúrgica Nacional 

“As empresas têm que ser mais propositivas. Precisamos ajudar os governos federal, estadual e municipal a organizar as iniciativas de educação.”
Lívia Sant’Anna, vice-presidente de Recursos Humanos da Mendes Junior Engenharia

Amcham-SP promove seminário sobre os rumos da educação no Brasil e o papel da iniciativa privada / Foto: Amcham-SP

Amcham-SP promove seminário sobre os rumos da educação no Brasil e o papel da iniciativa privada / Foto: Amcham-SP

Educação no Brasil

A educação é um direito social previsto na Constituição Brasileira e cuja atribuição é de competência comum entre União, Estados, Distrito Federal e Municípios, que devem atuar de forma colaborativa.

  • Aos Municípios competem prioritariamente os programas de educação infantil e ensino fundamental;
  • Os Estados atuam prioritariamente no ensino fundamental e médio;
  • A União, além de organizar o sistema federal de ensino, também deve prestar assistência técnica e financeira aos Estados, aos Municípios e ao Distrito Federal.

Ocorre que as demandas para assistir o direito à educação em um país de proporções continentais como o Brasil são imensas. Logo, cabe a atuação da iniciativa privada para ajudar na tão buscada universalização do acesso à educação. Nesse contexto, a iniciativa privada atua mediante autorização e avaliação de qualidade pelo Poder Público e cumprimento das normas gerais de educação nacional.

Além da atuação da iniciativa privada na educação básica, a oferta privada de serviços de educação nos níveis superior e de pós-graduação já estão consolidados no país, de modo que são um caminho sem volta, com grandes grupos econômicos entre os principais players. Além disso, as principais empresas já investem em educação corporativa. Mas ainda estamos longe de alcançar o acesso universal. Então, os debates e ações precisam continuar acontecendo.

*Redação

Fonte: Amcham

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s