Período natalino incentiva participação em ações sociais

Enquanto nas outras datas comemorativas as pessoas compram para presentear parentes, cônjuges e amigos, no Natal, muita gente compra também para doar.

Tal como em qualquer data comercial, o período natalino atrai muita atenção midiática, além de alavancar as vendas do varejo. Sinônimo de fartura gastronômica e muitos presentes, o Natal acaba sendo também uma ótima oportunidade para fazer negócios e conseguir novos trabalhos. Entretanto, o Natal tem uma característica que as outras datas comemorativas do calendário comercial não possuem: o sentimento de solidariedade. Enquanto nas outras datas comemorativas as pessoas compram para presentear parentes, cônjuges e amigos, no Natal, muita gente compra também para doar.

O espírito de doação contagia a todos. Das grandes empresas aos pequenos grupos organizados, todos querem participar do movimento de solidariedade que é o Natal. Em Salvador, dois centros varejistas promovem campanhas de doação no Natal. No Shopping Barra, os clientes encontram a Árvore dos Sonhos. Dela, eles podem retirar uma cartinha e atender ao pedido da criança. Já o Salvador Shopping promove a campanha Estrelas do Bem, em que os clientes escolhem uma estrelinha através de um site na internet ou na loja da campanha; depois, compram o presente e podem participar do grupo que vai até a instituição beneficiada, no Salvador Bus, entregar o presente junto com o Papai Noel. Em 2013, essa ação contou também com a participação de Tio Paulinho para divertir a criançada. Como possuem infraestrutura robusta, empresas como o Shopping Barra e o Salvador Shopping acabam atuando como mobilizadores de uma ação social de proporções maiores. No Shopping Barra, por exemplo, os clientes já retiraram mais de 3.300 cartinhas.

Alguns dos participantes do Estrelas do Bem em 2013. O Salvador Bus levou participantes para entregar os presentes às crianças pessoalmente, junto com o Papai Noel, ação  também executada em 2014 / Foto: Agência de Textos

Alguns dos participantes do Estrelas do Bem em 2013. O Salvador Bus levou participantes para entregar os presentes às crianças pessoalmente, junto com o Papai Noel, ação também executada em 2014 / Foto: Agência de Textos

Mas também tem gente que, através de pequenas ações, por iniciativa própria, consegue contribuir de forma singela, mas significativa. Esse é o caso da relações públicas Rebecca Lyrio. Junto com sua mãe e com a amiga Gabriela Martinez, Rebecca arrecada donativos para o Abrigo São Gabriel, localizado no bairro de Boa Viagem, em Salvador. Ela conta que a campanha começou há três anos, quando ela conheceu a instituição. “Me encantei com os idosos e com o trabalho que o Irmão Gabriel realiza no abrigo e resolvi ajudar. Comecei a divulgar entre os amigos e hoje somos três pessoas trabalhando nessa campanha. Cada um ajuda como pode, doando, buscando doações, depois a gente organiza as doações e monta kits individuais com produtos de higiene para dar de presente aos velhinhos”, conta Rebecca.

Rebecca Lyrio (de óculos escuros, no centro) organiza os presentes para o Abrigo São Gabriel junto com a mãe e uma amiga / Foto: arquivo pessoal

Rebecca Lyrio (de óculos escuros, no centro) organiza os presentes para o Abrigo São Gabriel junto com a mãe e uma amiga / Foto: arquivo pessoal

Há onze anos, a produtora cultural Patrícia Brasil doa roupas e brinquedos do seu filho Lorenzo. “Faço isso desde que ele nasceu, várias vezes ao ano, mas dezembro é o mês que sempre está na lista”- comenta Patrícia. Ela diz que doar roupas e brinquedos do seu filho foi uma forma de dar uma utilidade a coisas que acabam sendo de uso passageiro, por causa da fase de crescimento da criança. A OSID (Obras Sociais Irmã Dulce) é a instituição escolhida por Patrícia, que costuma ir junto com Lorenzo entregar as doações. Ela lembra que num desses anos ele passou horas brincando com as crianças, gostou de um dos bonecos e as crianças deram o boneco de presente a Lorenzo. “Gosto que ele vá também porque acho importante que desde cedo ele perceba o mundo em que vivemos e a necessidade de a gente ajudar, para que ele desenvolva o sentimento da solidariedade”, comenta a mãe.

Patrícia diz que não abre mão de levar Lorenzo no dia de entregar as doações / Foto: arquivo pessoal

Patrícia diz que não abre mão de levar Lorenzo no dia de entregar as doações – “quero que o meu filho aprenda a ser solidário, se colocando no lugar das outras crianças” / Foto: arquivo pessoal

Em 2013, a secretária Marilize Pacheco participou de uma ação voluntária do Grupo Guerreiros da Paz, localizado no bairro de Brotas, em Salvador. Ao invés de participar da ceia de Natal, na noite de 24 de dezembro de 2013, ela foi com o grupo entregar comida e roupa a moradores de rua. “Participei da ação de Natal do ano passado, mas esse grupo faz essa ação social todo sábado, não só no Natal”, conta a voluntária, que pretende se juntar ao grupo novamente no Natal de 2014. O Grupo Guerreiros da Paz iniciou as atividades em 1993, com assistência a crianças carentes. Atualmente, eles desenvolvem o programa educativo “Criança na Sede”, destinado à formação de crianças entre 3 e 15 anos; entrega de cestas básicas e encaminhamento de ação social, que inclui atendimento médico através de encaminhamento ao serviço público de saúde e a consultórios voluntários; e o programa de alimentação à população em situação de rua, que ajuda cerca de 600 pessoas em diferentes bairros de Salvador.

O grupo Guerreiros da Paz distribui sopa semanalmente a moradores de rua em Salvador / Foto: Facebook

Os voluntários do Guerreiros da Paz distribuem sopa semanalmente a moradores de rua em Salvador / Foto: Facebook

Alerta

Apesar de vermos que as pessoas colaboram mais em épocas como o Natal, de um modo geral, os números sobre a participação em ações sociais voluntárias no Brasil ainda não são muito otimistas. No dia 5 de dezembro, o jornalista especializado em sustentabilidade, André Trigueiro, divulgou dados de pesquisa informando que 8 em cada 10 jovens brasileiros (entre 18 e 24 anos) jamais participaram de atividades voluntárias, alegando motivos como “falta de tempo” e falta de informação”, respectivamente. Assim, somente 16,4 milhões de brasileiros realizam trabalhos voluntários.

Imagem: post do jornalista André Trigueiro no Facebook, no dia 5 de dezembro de 2014.

Imagem: post do jornalista André Trigueiro no Facebook, no dia 5 de dezembro de 2014.

Esse número ainda é bastante inexpressivo diante de uma população brasileira de mais de 200 milhões de habitantes. Mas enquanto existirem pessoas como Rebecca, Patrícia, Marilize e tantos brasileiros que realizam pequenas e boas ações, nós ainda poderemos ter esperança. Vamos torcer para que, com o tempo, essas pessoas influenciem outras, que convidarão outras, até que não mais teremos dados de pesquisa como os divulgado no dia 5 de dezembro.

*Redação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s